English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

.: Um Gole De Ideias :. -> Dois anos no ar!

.: Alexandre Lopes :.
.: Fabrício Pacheco :.
.: Gleidson Quintella :.
.: Jonatan Bandeira :.
.: Lucas Ragazzi :.
Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 1 de maio de 2009

EU PENSEI EM NOS AJUDAR...


Todos acham que nossa estória está às mil maravilhas, eu nego. Dizem que teremos um final feliz, mas honestamente... eu desconfio. Nossa fábula é um mundo mágico sem tijolos amarelos, à propósito gostaria de saber quem inventou esta história. Aqui só há asfalto negro e, amareladas são apenas as listras que o cortam. Todos aqui têm tantos problemas, especialmente eu, Leão do Gole. E claro, tem gente que se impõe problemas – falta do que fazer, mesmo.


Nossa! Aquele manequim de ferro-velho só sabe reclamar. “Vive” com a cisma de possuir um coração achando que esta peça lhe trará vantagens. Pobre amigo Gole-de-lata. Ah, não! Não compreendo porque as pessoas ficam comovidas com o ele. O dissimulado forja sua angústia, por um querer desnecessário. Para que um coração?


Porque o chamo de dissimulado? Claro, ele é desprovido de sentimentos e ainda assim, ostenta uma dor emocional devido à ausência do órgão que poderia proporcionar-lhe o sentir. Histeria seria sua moléstia ou seria ele apenas um maria-vai-com-as-outras, mesmo? Só porque vivemos numa fábula repleta de morais acerca dos sentimentos, obriga-se a obter este poder humano. Para quê tanta cobiça, invejoso!? Ora! Se este pecado capital é advindo do coração, como pode tê-lo em sua ausência? - não há nada mais paradoxal. Já sei: estamos na era digital, é provável que viera com programação de fábrica, o “Software do Querer ®”. Como não pude pensar nisto antes?


Tanto querer por um órgão atrioventricular, vazio... No entanto, o possuo e não o uso eficazmente. Sei lá, deve estar estragado. Sofro todas as paixões possíveis, do amor ao ódio. Ainda que haja plácidos sentimentos, marcho num caminho sem brio algum: pois se tenho amor, falta coragem para expressá-lo - deste modo nunca o compartilharei. O que é o Leão sem sua coragem? Diga-me!


Eu quero, mas ainda não obtive forças para aconselhar Gole-de-lata. Se eu pudesse colocar alguma coisa naquela cabeça oca... Entretanto seria dispêndio do meu precioso tempo - uma tentativa frustrada. Bem, existe um meio alternativo que nos ajudaria.


Um único desejo nos supriria: já que sou desprovido de coragem, com um coração oco que não desempenha suas virtudes, eu o retiraria para ofertar-lhe ao meu amigo. Afora, viver sem ele seria algo fantástico. Viver sem esta caixa pulsante no peito que me sufoca, poder arredar-me das dores, libertar-me das emoções e viver em plena razão: ah, como eu queria! Ser mecânico seria o melhor remédio para minha depressão. Nunca me encorajei a ir ao psiquiatra - claro, pensariam que estou ficando louco. Mas segundo os meus livros de autoajuda, minha depressão é proveniente de uma baixa autoestima.


Agora só me resta encontrar o Mágico-do-gole e evidenciar esta tão lucrativa proposta - realizar dois desejos de uma só vez. Contudo, sabe aquele remorso que brota no peito por querer fazer barganha? Sinto isto agora. Meu amigo de lata vai ser lacerado pelas emoções animais, coitado. Mas se eu parar para refletir, após a retirada do meu coração e seu posterior transplante no Gole-de-lata, nunca mais terei remorso algum. Então, o farei ainda hoje!

***

Após o monólogo diante do espelho de sua penteadeira, Leão deitou-se à cama. Suas propostas nunca passaram de um ensaio. Ele nunca referiu uma palavra para o seu amigo Gole-de-lata e tampouco se encontrou com o Mágico-do-gole. E em seu peito reinam inquietantes pulsações que o assombram em leito. Queria ele bramir de raiva, ou ao menos se aliviar, mas nunca conseguiu vociferar nada.

6 comentários:

  1. Quer dizer que vamos re-escrever o magico de oz? Não me restou muita coisa... um desafio de eu-lírico Doroty, uma viagem animal Totó ou ainda um espantalho! Aguardem os futuros goles!

    Aplausos pela ousadia!

    ResponderExcluir
  2. Adorei! A intertextualidade com O Mágico de Oz ficou bem legal e relacionar os nomes dos personagens com o nome do blog foi uma boa idéia!
    Pena que o Gole-de-lata não conseguiu um órgão atriovencular pra ele... rs

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Nossa como vc pode botar a nossa conversa de msn aqui?? Teve esta coragem?? Eu adorei está foto é como nos sentimos em relação ao amor uma fera por dentro e por fora um doce felino que não apresenta mal algum...e todos os dias aquilo fica preso sem poder sair e nos faz até ficarmos dodói...rsrs...me sinto uma aluninha sua da creche é a convivência desculpe, não resisti...muito bem voltando ao assunto ficamos estagnados por nunca podermos expressar o que realmente está aqui dentro de um órgão o qual o gole-de-lata precisa, pois assustaria ao outro que não consegue ver toda essa voracidade, com tanto afinco lutamos por ela e preocupados mais em esconder do que mostrar e acabar com toda essa hipocrisia de um vez. Amei seu texto está de acordo com a fotinha do gatinho e do leãozinho tão bonitinhos...rsrs...até pensei que não fosse um texto seu mas arrebentou uma leitura tão gostosa...obrigado por alimentar-me matando minha sede infinita por goles. Bjus

    ResponderExcluir
  5. Bom, eu não me lembro do Mágico de Oz! rs
    Mas gostei muito do texto!
    Pobrezinho, não conseguiu um coração...
    Talvez seja melhor assim, nós, seres humanos, temos coração e olha o que fizemos com o mundo!
    Ter coração não é necessariamente uma coisa boa...

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Segundo minha leitura do Gole-de-Lata, ele conseguiu um coraçao, sim! E sofre por isso...Agora voce me inspirou a escrever sobre o Magico, rs! Bom texto. Eu diria inspirador, rs! Ate mais...

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo seu comentário (dose)!

Related Posts with Thumbnails