English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

.: Um Gole De Ideias :. -> Dois anos no ar!

.: Alexandre Lopes :.
.: Fabrício Pacheco :.
.: Gleidson Quintella :.
.: Jonatan Bandeira :.
.: Lucas Ragazzi :.
Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 12 de junho de 2010

O ÚLTIMO ROMÂNTICO


Ontem eu mandei flores para a minha amada, mas ela as recusou. Além disso, descobri que ela me ridicularizou com as suas amigas. Qual homem em sã consciência, em 2010, enviaria flores para uma mulher? Eu! Sou o último romântico. Contudo, essa e outras manifestações obsoletas romântico-amorosas levam-me a angústia de uma eterna vida de solteiro.


A origem do meu comportamento foi um excelente modelo de casamento. Meus saudosos pais sempre viveram num clima amoroso tão contagiante que era quase impossível eu não acreditar no amor incondicional. Desde criança, percebi o quanto ele eram felizes: pareciam que se complementavam e que eles nunca poderiam existir plenamente sem o outro. Sabe a história das metades da laranja? Acho que foram eles que a inventaram. Enfim, acabei bebendo de uma fonte de amor inexaurível.


Meu pai sempre me ensinou como conquistar uma mulher, bem como satisfazê-la. Certa vez ele me disse: “mais difícil do que conquistar uma mulher é manter a chama do amor acesa. Todos acham o amor complexo, mas o segredo do seu sucesso está nas medidas simples, Filho. Devemos agir de maneira simples, porém inesperada”. Meu pai dava presentes para a minha mãe em datas inconstantes. Quando ela o perguntava sobre o porquê daquele presente, ele sempre tinha uma resposta cativante: “por que eu te amo”, “por que você é a mais linda das mulheres”, “por que sem você não vivo”...


Como dizem: “Filho de peixe, peixinho é”. Sou o homem que mais entende os sentimentos das mulheres. Pena eu ter nascido na era do desamor. Lembro-me dos meus namoros, consequentemente das numerosas cartas que já enviei. Minha ex-namorada me chamou de brega quando a enviei a primeira. “Em tempos de depoimentos no Orkut e e-mail, você me envia uma carta”?! – disse a desnaturada. Mas não para por aí...


Lembro-me que namorei uma menina que morava no primeiro andar de um apartamento nobre da Barra da Tijuca. Isso era extremamente convidativo para uma ação romântica. Assim, fiquei por volta de duas semanas trabalhando numa música para ela. Adivinha o que eu fiz? Não, eu não gravei um vídeo e coloquei no You Tube! Tenta de novo, leitor. Alô, gente, eu fiz uma serenata! Não, isso não é bombom, o bombom que tem esse nome por causa da serenata; que nada mais é do que uma cantiga de amor entoada para sua amada à noite, sob sua janela. Poxa! Ela alegou ficar extremamente constrangida com aquilo e terminou o nosso namoro. O bom foi que pelo menos ela não me jogou o famoso balde de água fria na cabeça.


Já fiz de tudo para agradar as minhas namoradas: viagens paradisíacas, jantares românticos, ligar depois da primeira noite de amor (isso é demasiado difícil para homens)... Mas nada disso funcionou! Como o mentor dos meus relacionamentos está morto (papai), decidi pedir opinião de um grande amigo namorador. Queria saber o que ele fazia para preservar os seus relacionamentos. Ele não tinha o que dizer, pois realmente ele não se esforçava em fazer nada excepcional. Eu insisti: “nada mesmo? Lembre-se, deve haver alguma coisa diferente”. Ele me respondeu: “Não faço nada demais, aliás brigamos o tempo todo. Acho que ficamos juntos por necessidade, mesmo. É, necessidade! É tudo tão chato, tão monótono... namorar é uma maneira de compartilhar o ócio e as carências, uma maneira de extrair alguma coisa do nada”.


Depois daquelas palavras, achei que havia recorrido à pessoa errada, mas não foi. Conversando mais um pouco com o meu amigo descobri que ele pagava algumas contas das suas namoradas. “Contas”?! – surpreso reagi. Fiquei impressionado, até porque o meu amigo não é nenhum rico. Fiz a experiência... Bingo! Funcionou, porém não fiquei nada feliz com um relacionamento comprado. Logo terminei - solteiro.


No final, desesperado, resolvi recorrer à internet, colocando esse anúncio num site de relacionamentos.


Jovem de 25 anos procura pessoas tolerantes ao romantismo


Tenho 25 anos. Não mencionarei meu tipo físico, pois quero alguém que me ame por minhas ações. Desde já, deixo claro o meu grande defeito: sou o último romântico. Procuro por alguém que gostará de receber cartas de amor, poesias, músicas românticas, ligações diárias e elogios sinceros. Quero também alguém que valorize minhas intenções de amar incondicionalmente e que esteja disposta para ser amada. Observação: sou órfão, portanto você não terá sogros. Se tiver interesse em me conhecer, segue e-mail para contato: ultimo-romantico@umgoledeideias.com.


***

Finalmente, o anúncio funcionou. Na semana seguinte, recebi inúmeras propostas de encontro, no entanto havia um pequeno problema: todas as pretendentes tinham mais de sessenta e cinco anos. Volto a estaca zero.

7 comentários:

  1. O bom de se conhecer um escritor é saber e compartilhar as influências do texto. Ainda outro dia você me contava sobre como os relacionamentos dos pais influem na conduta dos filhos...

    Mas você, último romântico, é obra de um exercício muito grande de extrema ficção! Desculpe-me! por isso digo que o texto está muito bom!

    Coitado do eu-lírico desta prosa... conclusões prontas não funcionam nesses casos! E coitado desse tal amigo também! Um bando de gente frustrada! rs... Enfim, pelo menos serviu para que num dia como esse a gente revisse os nossos critérios e nossas condutas!

    Parabéns amigo goleiro!

    Até!

    ResponderExcluir
  2. Querido, permita-se!E o que tenho a dizer sobre suas pretendentes mais recentes. Quem sabe? E por que não?
    Vejo em você, eu - lírico, uma tentativa desesperada de suplantar seus pais e isso é tão tolo, tão murro em ponta de faca. Você não é seu pai e também não encontrará sua mãe em outras mulheres. Cada tem um tem seus sistemas.
    Amor acontece ou não, em nada adianta essa busca desesperada e todo esse frenesi. Que é isso, ta com medo da solidão?Se ela for tua sina, não tem jeito, ela te pega mesmo que seja só no finalzinho de tudo.
    E lembrando Caio F. Para terminar:
    “Quem procura não acha. É preciso estar completamente distraído e não esperando absolutamente nada. Não há nada a ser esperado e nem desesperado. Tudo é ilusão ou circulo vicioso” (Caio Fernando Abreu)

    ResponderExcluir
  3. Lá vai eu dando o meu pitaco feminino...

    1- mandar flores nao significa ser romântico. O que tem de romântico em comprar flores e mandar entregar se elas nao tem simbolismo nenhum e vc nem escolheu? Se no cartão, qnd tem cartão, aparecem palavras copiadas de algum lugar?
    Pode ser romântico enviar as flores que você demorou pra escolher com um cartão de palavras simples mas sinceras.

    2- o problema com a carta criticada pela ex-namorada do seu eu-lírico, definitivamente não é a carta, mas a namorada.

    3- A serenata! Meu deus, esse personagem é de outra época! Nãaaaaaao, serenata não! A não ser que fique claro que a moça gosta de chamar atenção. Mas é bom ter muita certeza disso antes de se arriscar. Quer cantar pra ela a música q vc fez? Canta só pra ela! Se for ridículo só ela vai ver, mas nao vai comentar.

    4- Não acho que seria fácil encontrar alguém na faixa dos 25 que goste de ficar procurando anúncios de namoro.É mais fácil achar crianças curiosas e idosos carentes. Sair mais pra baladas selecionadas, pode ajudar...

    rsrsrs

    Jonatan, eu sempre me revolto com os seus personagens românticos! rsr

    Muiiiito bom!

    ResponderExcluir
  4. Quem ama esta só! Não disseram isso para você?! Coitado... O bom disso tudo é que esse texto me inspirou para outro. Por isso galera, leiam "Eu não vendo amor". Desculpa, Jonatan, por fazer propagando do meu texto no seu. E a propósito, ótimo texto!

    ResponderExcluir
  5. Oi. Estou um pouco atrasada no comentário, mas acho que ainda é válido.

    Eu adorei o texto. Romanticos, desacreditados ou não ainda existem. Eu sou um deles. E meu namorado também.

    Quase tudo o que você descreveu no texto ele já fez por mim. E eu simplesmente amei. Claro, respeitamos quem possui opiniões diferentes e não gosta desse tipo de demonstração de amor.

    Para mim, o mundo está como está hoje por simplesmente falta de romantismo. É isso mesmo. Eu acredito no amor. Sempre acreditei. Prova disso é que justamente quando decidi trancar meu coração foi que encontrei meu verdadeiro amor. E pretendo não me separar dele nunca mais.

    Podem me chamar de tola. Mas somente estou vivendo o que acredito.

    Abraços a todos e que um dia vocês acreditem no amor.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Achei o texto perfeito..
    O Ultimo Romântico, a sociedade poderia adotar neh? ou melhor readotar...

    Flores? Acho lindo, um gesto carinhoso, romântico... Mulheres adoram ganhar flores, eu pelo menos.. Mostra um amor puro e inocente.

    Cartas? São palavras escritas pelo seu amado, como alguem pode achar isso ricidulo?? È nobre o homem que escreve cartas para amada, demonstrando assim seus sentimentos, ao invés de copiar da internet.. A mulher que nao sabe valorizar isso, não pode exigir nada , nenhuma forma de carinho de qualquer pessoa.

    Serenata? Lindo, a pessoa perde um tempo tentando achar palavras e melodias que expressem seu sentimento, isso deve ser valorizado.. Mesmo que o seu amado nao cante bem, mais ele fez com carinho e pensando em você.

    O mundo precisa conhecer o amor de verdade, precisa reaprender a amar..
    Para de pensar em status e simplesmente viver!

    Romantismo sempre vai estar em alta.

    Talvez o personagem não tenha encontrado a pessoa certa.

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo seu comentário (dose)!

Related Posts with Thumbnails