English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

.: Um Gole De Ideias :. -> Dois anos no ar!

.: Alexandre Lopes :.
.: Fabrício Pacheco :.
.: Gleidson Quintella :.
.: Jonatan Bandeira :.
.: Lucas Ragazzi :.
Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 21 de novembro de 2009

Quase um segundo

Novamente o vento revirava seu cabelo e o seu destino sólido dizia sim ao meu. Era tarde, mas aquela tarde coloria meus sentidos ao passo que seus passos alforriavam-me. O vestido ondulava em primavera e os lábios sorriam em tom maior. Aquela paz de criança dormindo deu lugar para um êxtase discreto que me acendia desejos de pele. Ah!, pulsa coração em samba. Da esperança tanta, mal sabia se restou.

Ao olhar em minha direção não tive outra reação senão calar-me de palavras e intenções. Por quase um segundo em nirvana senti-me monge tibetano para receber um milagre. As cordialidades dessa vez não ressoaram para que todos ouvissem se limitaram a precisão do olhar. Eu a cortejei e ela, linda, respondeu sutilmente fitando o chão.

Aproximando-se mais notei certa ânsia no seu olhar. Contive-me, e apreciei ferozmente a suavidade de seus movimentos. Ela pendulava os braços harmoniosamente e chegava sem pressa a minha presença. Dois passos ainda nos separam. Dois preguiçosos passos distanciam minha boca dos lábios dela.

Chegou. Ela chegou e ao invés de agarrá-la meu corpo em esfinge freou-se para passivamente retratá-la a memória presente. Eu senti a respiração calma e sua pele fresca cheirando sabonete. Talvez ela não vivesse com essa intensidade toda, a prisão moral nos enclausura em certas liberdades. Naquele instante tudo isso se rompeu e minha boca tocou a dela sem pudor nenhum, mesmo que a mente pulsasse sem querer o nosso sobrenome comum.

4 comentários:

  1. Hoje em dia o beijo está extremamente banalizado, coisa comum, perdeu a intensidade!
    Seu texto, sua narração intensa, fez-me lembrar da época em que ansiava por um bom beijo, somente ele, sem todo aquele consequente envolvimento sexual que se espera que tenha...
    Seu texto pareceu a narração do primeiro beijo de tanta gente, lembra-se, quando tínhamos 12, 13 anos, esperávamos ansiosamente por este momento, ficávamos ofegantes, o ar pesava e enfim, acontecia o beijo!

    Ótimo texto!
    Abraço, amigo!

    P.S.: Voltei a ativa! rs

    ResponderExcluir
  2. "(...)mesmo que a mente pulsasse sem querer o nosso sobrenome comum."

    Um incesto basico ?

    rs lindo post!
    Merece ser declamado!
    Realmente existem pessoas que dão a vida por um beijo!


    Parabéns,escritor!

    ResponderExcluir
  3. Incesto? (Á Lá John Romulo!) Bom, muito bom! Espero que seja uma ficçao, sem nenhum acontecimento real. Se nao, meu filho, a namorada de "neguinho" aí vai ferver! Rs.. Brincadeira!

    ResponderExcluir
  4. Eu evitava comentar este texto até então... Mas depois das palavras do Alexandre, resolvi me render.

    Sinceramente eu também espero (muito) que seja ficção. Sabe como é... O calor já está difícil, como "neguinho"(usando o termo do Alexandre) posta aí -TERMOgole-, e com temperatura elevada fica bem mais fácil atingir o ponto de ebulição.
    rsrs

    Que idéia vcs fazem dessa namorada hein!? rs

    Se fosse de qualquer outro, eu terminaria com um elogio. Mas desta vez me recuso.
    Não gostei dessa "idéia" de incesto e muito menos de tanta descrição!rs

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo seu comentário (dose)!

Related Posts with Thumbnails