English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

.: Um Gole De Ideias :. -> Dois anos no ar!

.: Alexandre Lopes :.
.: Fabrício Pacheco :.
.: Gleidson Quintella :.
.: Jonatan Bandeira :.
.: Lucas Ragazzi :.
Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Construindo a realidade

Hoje cedo revi meu episódio favorito de friends, revisitei o baú de lembranças pessoais, me mandei convites a uma nova perspectiva, mas acho que não aceitei todos. Vi minha vida do ponto mais alto que pude como se soubesse tudo de mim mesmo. Como se meus instintos e emoções juntos não resvalassem o ponto de vista grandioso e eterno sobre a minha própria vida. Não sou o melhor com os meus atos, narro melhor que os vivo.

Ainda na tarde desse dia reflexivo e enfadonho, me pus a reouvir as músicas caóticas da Legião Urbana. Não vou tentar suicídio como fiz da última vez que me dediquei tanto a este ofício. Não espero que nenhum coelho me mostre que existe um mundo melhor que este que vivo. Escolhi ontem que não posso ir muito fundo na toca da existência. Suporto facilmente os desequilíbrios e as confusões que me meto. Não suportaria imaginar que isso tudo aqui pode ser só o que eu imagino como realidade.

As canções e as pessoas nunca me surpreendem de tudo. Espero erros dos humanos e beleza na arte. De certo que encontro um funk desafiando o meu senso estético, ou ainda uma pessoa negando preconceitos ou se dizendo sincera. Coisas da vida! Pego meu quê de realidade no meio disso tudo. Não existe força que me faça viver automaticamente, embora minha vida tenda a rotina. Mas não existe rotina. Entende?

Agora digníssimo leitor que se atreve junto a mim nessa narrativa torta, não me julgue prolixo ou desregrado. Não sou eu que vos falo. O autor não existe. A vida deste texto é uma fuga da realidade e ao mesmo tempo uma tentativa de dizê-la. O protagonista ensaia na ficção com voz que imita o que o autor viveu. E entre rascunhar uma verdade tão distante como essa, não se desafie por demais, caro amigo. Fique com a tua!

2 comentários:

  1. Belo, texto... Anda resgatando a filosofia que há em você?!

    Do que mais gostei?! Talvez da paradoxal prepotência/humildade do personagem-narrador: "Não sou o melhor com os meus atos, narro melhor que os vivo". rsrs...

    E esse desfecho!? Digno de artigo científico... Quase um ensaio...

    Ótimo gole... da filó à literatura.

    Grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  2. Demorei um bocado de tempo para ler e comentar, pois sabia que teria as impressões mais vagas que a realidade compartilhada entre nós. Como o Jonatan, adorei o "narro melhor que os vivos".

    Me faz pensar se vivo um conto ou uma crônica. O que você acha, Filósofo? Ótimo texto. Sei por que você gostou tanto de escrevê-lo. Era você a maior parte do tempo. See you later...

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo seu comentário (dose)!

Related Posts with Thumbnails